Coronavírus: como a gestão integrada ajuda a amenizar os impactos da crise

Sem categoria

No contexto da crise econômica e social gerada pelo Coronavírus, é preciso empregar uma gestão de qualidade para construir novas chances de negócios e amenizar os impactos negativos. Assim, será possível preservar postos de trabalho e levar alguma estabilidade para a equipe. Os recursos-humanos são um dos mais importantes ativos de uma companhia. Por essa razão, as empresas precisam se dedicar para ajudar no equilíbrio emocional do time e na superação dos desafios.

Com exceção de alguns segmentos — como biotecnologia, alimentos, higienização profissional e entretenimento streaming — que surfarão na onda da nova pandemia, praticamente todos os setores serão atingidos por esse mais recente episódio de escala mundial. Mesmo os setores com tendência de alta, sem uma gestão eficiente, podem sofrer com a sobrecarga de demanda.

No entanto, os empreendedores não devem ficar de braços cruzados à espera do fim do terremoto. Nesse sentido, a velocidade da reação pode fazer toda a diferença no tamanho das perdas.

Assim, tarefas como monitoramento de fluxo de caixa, políticas de redução de custos e acompanhamento das oscilações cambiais são fatores críticos para sobreviver.

Ou seja, é importante não se conformar com a recessão e ir em busca de novos negócios mesmo em circunstância desfavorável. Neste ponto devemos pensar na gestão integrada. Afinal, para cumprir tais metas, fazer uma boa previsão de demanda com análise do cenário externo e internoserão atitudes decisivas.

Mesmo as empresas listadas nas Bolsas brasileiras não estarão completamente imunes à Covid-19 sem estratégias consistentes para o enfrentamento deste período crítico.

Nesta conjuntura, os setores de mineração e de celulose devem ser os primeiros a sentirem os efeitos do atual momento, devido ao fato de exportarem para a China, que ainda ensaia uma recuperação. No final de janeiro, as gigantes Vale, Petrobrás, Gerdau, CSN e Suzano perderam R$ 50 bilhões em valor de mercado.

Por outro lado, companhias de educação a distância, provedores de teleconferências, fornecedores de streaming de entretenimento e fabricantes de produtos de limpeza estão em alta.

Assim, somente conhecendo a fundo seus próprios dados será possível encontrar pontos positivos de convergência entre seu negócio e a atual instabilidade.

Nesse sentido, o controle de dados, a capacidade de armazenar informação e a velocidade na tomada de decisões têm se mostrado uma saída promissora para enfrentar as incertezas com maior sucesso. Quer saber mais? Então veja neste post como uma gestão eficiente pode trazer a luz para o final do túnel em tempos nebulosos. Acompanhe!

Melhorias e adaptações de processos

O primeiro passo é levar algumas pitadas de ousadia, organização e planejamento para a gestão. Esses são ingredientes fundamentais neste momento. Afinal, crises não são ocasiões para ficar parado nem para queixas. De certo modo, elas servem para inspirar e provocar os instintos de superação.

Portanto, os gestores não devem se entregar ao pessimismo. Pelo contrário: é essencial direcionar os esforços para encontrar respostas para os problemas.

Por exemplo: laboratórios farmacêuticos e startups de biotecnologia estão trabalhando  para encontrar uma vacina. Desse modo, ao mesmo tempo em que cavam uma oportunidade comercial e geram empregos, esses negócios cumprem seu papel social em meio à crise.

Por isso, mesmo que sua área nada tenha a ver com a crise, pondere sobre os possíveis pontos de encontro em que ela pode encontrar novas chances.

Depois disso, será fundamental investir na adaptação dos processos para direcionar a equipe e os recursos empresariais nesses objetivos. As estratégias variam de uma empresa para outra, mas caminham para expansão do comércio online, de um modo mais generalizado.

O Sebrae propõe enfrentar o Coronavírus conquistando a confiança dos clientes. Nesse sentido, vale a pena ter um fluxo de trabalho ajustado à nova realidade. Desse modo, incluir mais limpeza nas instalações e fornecer máscaras para os colaboradores são algumas atitudes positivas que vão de encontro à conquista dessa credibilidade.

Além disso, será preciso uma comunicação rápida e padronizada com os colaboradores. Afinal, todos precisam ser informados sobre novos horários, mudanças no atendimento e demais alterações na rotina sem ruídos nem distorções.

A forma de trabalho terá de se transformar, e todos devem estar cientes de suas respectivas funções nessa virada.

Integração de sistemas

Mais do que nunca, a capacidade das empresas em conectar seus mais variados sistemas vai ter um papel significativo. Afinal de contas, será necessário melhorar a produtividade em rumos inéditos para muitas companhias. Desse modo, é preciso investir em qualificação profissional e ao mesmo tempo fornecer aos trabalhadores as ferramentas tecnológicas necessárias aos novos desafios. Assim, como boa parte da equipe atuando em home office, faz-se fundamental um sistema-mãe que coloque todos em sintonia. Além disso, há de se pensar em soluções de informática robustas do ponto de vista de armazenamento, análise de dados e proteção de informação industrial.

Ao mesmo tempo, com os informes internos detalhados e à disposição em tempo real, os executivos têm mais fôlego para acompanhar as variáveis externas do core business: concorrência, riscos, perda de mercado, dificuldades para encontrar matéria-prima etc.

Monitoramento do fluxo de caixa

Com o inevitável padecimento da economia mediante a Covid-19, o monitoramento do fluxo de caixa será crucial. Mas não se trata de apenas acompanhar o que acontece no dia a dia.

Será essencial encontrar padrões nos primeiros meses para tentar estimar as dimensões dos prejuízos a médio e longo prazos. Desse modo, será possível amortizar os danos financeiros bem como suas consequências sobre as pessoas.

Mesmo diante de tantas incertezas, já é sabido que será menor a capacidade de liquidez para o pagamento de dívidas em 2020 e 2021. Por esse motivo, é imprescindível tentar estimar com a maior precisão possível o quanto tal fenômeno se concretizará na realidade de seus clientes.

No entanto, se a empresa realizar uma gestão integrada, haverá tempo para encontrar as soluções e cobrir esses buracos com eficiência — ou pelo menos conter os prejuízos.

 Controle da flutuação cambial

Empresas com dívidas em dólar ou com custos conectados à moeda norte-americana precisam reforçar seus sistemas de controle da oscilação do câmbio.

Aliás, mesmo as exportadoras tendem a amargar prejuízos a curto prazo. Tais perdas acontecerão porque as receitas não virão no mesmo ritmo que as despesas. Além disso, companhias credoras de outras em igual situação — dependentes do dólar — também devem aprimorar suas supervisões de cotação.

Aumento da produtividade

A gestão integrada há anos já exerce protagonismo no campo industrial. Com o Coronavírus, ela se tornará ainda mais relevante.

Afinal, para buscar o máximo de eficiência na produtividade — fazer mais e melhor com menos recursos — será preciso suporte de uma gestão financeira e de uma gestão de custos de ponta.

Assim, esses dois setores poderão direcionar as decisões sobre mudanças estratégicas em relação à mão de obra, insumos e vendas em meio ao tsunami da Covid-19.

Renegociação de dívidas com os clientes

Não espere os primeiros atrasos para reagir. Desse modo, inicie imediatamente um plano para renegociar dívidas ou até mesmo facilitar o pagamento para seus clientes. Assim, talvez seja viável amenizar a inadimplência.

Nesta conjuntura, juros altos e intransigência em relação a parcelamentos podem criar dificuldades de liquidez para você. Uma saída são as soluções ERP que permitem mais precisão nos cálculos. Por exemplo: se você conseguir enxergar melhor seu preço de venda, provavelmente será menos difícil baixar valores e criar facilidades de quitação.

Segundo o Sebrae, a construção civil e o varejo serão os segmentos mais atingidos pela crise da Covid-19. Por isso, se você tem muitos clientes nessas áreas, a urgência de montar um plano de renegociação é ainda maior.

Além disso, tente ampliar as vendas para os setores com menos probabilidade de serem impactados em cheio pelo Coronavírus. Nesse sentido, destacam-se as companhias de alimentação, bebidas, medicamentos e saneamento.

Logística na escolha de prazos para pagar fornecedores

Na crise do Coronavírus, rapidez e decisões de qualidade serão peças-chave. Diante disso, procure usar a tecnologia a seu favor.

Por exemplo: algumas soluções de tecnologia permitem controlar rigorosamente os vencimentos de suas contas e os recebimentos de seus clientes. Com elas, é simples cruzar os dados e descobrir datas mais favoráveis para pagar os débitos com o fluxo de caixa no azul.

Assim, você começa a tratar com seus credores agora mesmo, evitando gastos com juros e multas e afastando o risco de desabastecimento.

Portanto, não dá para negar o impacto negativo do Coronavírus na economia. Porém, com uma gestão integrada e articulada com a gestão financeira, a gestão operacional e a gestão de custos, suas chances de atravessar a Covid-19 com fôlego serão bem maiores.

Dessa forma, além de reduzir os danos financeiros, você preserva postos de trabalho e retém talentos. Quer saber mais sobre os benefícios da gestão integrada para superar circunstâncias complexas? Então leia também nosso artigo que traz 10 estratégias para evitar crise no fluxo de caixa.


Infográfico

Varejistas sabem que o omnichanel é uma realidade
que transformou o mercado. No entanto, ter insights com

Baixe agora
Copyright © 2020 TradeOne. Todos os direitos reservados.